Healthtechs: o que são e como atuam no Brasil?

0
43

Tecnologia e saúde juntas, trazendo contribuições importantes para a qualidade de vida das pessoas. Esta é uma definição inicial, capaz de nos fazer começar a entender o conceito de healthtechs. Você já ouviu falar do termo?

O cenário de pandemia fez com que a tendência, já em crescimento, se intensificasse ainda mais. Para ter uma ideia, o número de healthtechs no mercado praticamente triplicou de 2018 até 2021.

A seguir, descubra o que de fato significa este segmento, seus benefícios, e a maneira como vem sendo aplicado no Brasil e no mundo. Confira!

O que são healthtechs?

A própria palavra healthtech alia os termos “saúde” e “tecnologia” em seu nome, já percebeu? Basicamente, a expressão é usada para definir empresas, mais especificamente startups, que atuam disponibilizando inovações digitais na área da saúde.

A abrangência do setor é enorme, indo de soluções médicas bem específicas a conteúdos educativos voltados ao bem-estar. Gestão hospitalar e comunicação com o paciente também são exemplos de atividades impactadas por tais negócios.

O grande objetivo das healthtechs é facilitar, melhorar e otimizar a área médica em geral, além de torná-la mais acessível para todos. Para isso, conta com os avanços que a tecnologia pode oferecer. Ela faz tal movimento em algumas categorias principais, como prevenção, predição, atendimento e diagnóstico.

Inteligência artificial, robótica, big data, aparelhos inteligentes, e-commerce, análise de dados. Tudo isso são ferramentas e recursos que vêm sendo utilizados pelas empresas, visando transformações tanto para os profissionais quanto para a sociedade como um todo.

Quais são os impactos positivos que trazem?

Os avanços tecnológicos têm o poder de transformar inúmeros processos quando aplicados na saúde.

Imagine, por exemplo, que algoritmos possam identificar as chances que uma pessoa têm de desenvolver câncer no futuro, através de mapeamento genético altamente eficaz. Pois saiba que esta possibilidade já é realidade há alguns anos, graças às healthtechs especializadas no procedimento. Nem é preciso dizer o quanto este tipo de informação possibilita prevenção, inclusive salvando vidas.

Quando se trata de aspectos voltados para o bom funcionamento da estrutura administrativa (seja em hospitais, clínicas ou consultórios), as healthtechs também são conhecidas por soluções.

Digitalização de prontuários ou agendamento de consulta médica via mobile são algumas iniciativas que favorecem economia de tempo e até mesmo de custos.

Conheça outros benefícios trazidos pelas startups:

· Atendimento mais humanizado, visto que há maior facilidade na obtenção de acesso digital a informações de cada paciente;

· Flexibilidade e agilidade, provocadas pelos teleatendimentos feitos de qualquer lugar e em qualquer hora;

· Desburocratização nos atendimentos presenciais, devido ao uso de sistemas integrados e automatizados para controle de dados;

· Acesso a procedimentos e cirurgias menos invasivas, focadas na utilização da robótica;

· Valorização da experiência do paciente, uma vez que há mais espaço para comunicação e feedback.

As healthtechs no mundo

Hoje, mais de cinco dezenas de healthtechs espalhadas pelo mundo são consideradas unicórnios (startups que valem mais de 1 bilhão de dólares). A maioria delas está localizada na América do Norte.

E apesar do ritmo intenso de crescimento nos últimos tempos, tudo indica que a expansão deste tipo de empresa não vai perder força, tendendo a permanecer em alta. Pesquisas revelam que no primeiro trimestre de 2021 elas receberam cerca de 30 bilhões de dólares em investimentos. O número é bem superior ao do último trimestre de 2020, quando chegou a 25,5 bilhões.

As healthtechs no Brasil

Mas e no Brasil, será que o panorama é o mesmo? A resposta para esta pergunta é sim.

Atualmente, o país já ultrapassou o número de 1000 healthtechs, que movimentam aproximadamente 1,8 bilhão de reais. Dessas, a maior parte está concentrada na região Sudeste, seguida pela região Sul.

Uma delas é a Cuidas, que atua no setor de saúde corporativa. Recentemente comprada por outra startup de imenso potencial, a Alice, a empresa proporciona conexão entre médicos e pacientes. A ideia é fornecer cuidados holísticos e personalizados, priorizando a melhora da saúde em longo prazo.

Gostou do artigo? Conecte-se com o Global Hub através das redes sociais e continue por dentro das principais tendências mundiais. Instagram: @uninterglobalhub; Facebook: @uninterglobalhub; Linkedin: UNINTER – Global Hub; Youtube: UNINTER Global Hub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui